segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Escoteiros participaram de atividades educacionais de extensão no IFSP-Caraguatatuba

No dia 27 de agosto de 2016, um sábado, pela manhã, entre 9:00 e 11:40, aproximadamente 20 escoteiros do “Grupo Escoteiro Caraguatá” visitaram o câmpus de Caraguatatuba do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), onde participaram de diversas atividades educacionais de extensão no auditório da instituição.

As atividades foram organizadas por bolsistas do programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural” (Brenda da Rocha, Matheus Luiz Romeo Pereira, Adilson Alves de Oliveira Junior, Jaqueline Nadabi Chiqueto Svingal e Lucas Isper) e por bolsistas de iniciação científica (João Pereira Neto e Rafael Brock Domingos), todos eles orientados pelo Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira. Esteve também presente dando apoio às atividades o estudante do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas d o IFSP-Caraguatatuba, Raphael Vitor Koglin Roepcke.

A atividade foi realizada após o contato estabelecido com o professor Ricardo Plaza por parte de Rogério Britto que é auxiliar de tropa do “Grupo Escoteiro Caraguatá”, verificando a possibilidade de que seu grupo de escoteiros pudesse participar de atividades educacionais, científicas e culturais no âmbito do IFSP-Caraguatatuba.

Os escoteiros vieram ao IFSP-Caraguatatuba acompanhados pela presidenta da tropa escoteira, Elizabeth Borges, pela chefa da tropa escoteira, Maira de Britto (que acompanhou todas as apresentações juntamente com os escoteiros presentes) e pelos auxiliares de tropa, Rogério Britto, Gustavo Henrique Miranda e Rafael Lainetti. O grupo de escoteiros era basicamente composto de meninos e meninas com idade aproximada entre 10 e 14 anos de idade.

A primeira apresentação, nesta manhã, foi realizada por Brenda e abordou a presença das mulheres em diferentes setores científicos, como nas áreas da física e da matemática. Dentre diversas cientistas famosas, Brenda mencionou e contou um pouco da história das vidas de Hipácia, de Marie Curie e de Emmy Noether.

Em seguida, Lucas realizou uma apresentação sobre “Inteligência Artificial”, definindo o termo e especulando cientificamente sobre a possibilidade de no futuro próximo acontecer a denominada Singularidade (surgimento de “consciência” em computadores com uma possível integração homem-máquina). Ele também apresentou um panorama sobre filmes que abordam o futuro da Inteligência Artificial e explicou as chamadas três Leis da Robótica, criadas pelo escritor Isaac Asimov, autor do livro “Eu, robô”, que se transformou em um conhecido filme estrelado pelo ator Will Smith.

Na sequência Adilson realizou a sua apresentação sobre “Matrix”, abordando questões filosóficas como o “Mito da Caverna” elaborado pelo filósofo Platão e a cena do filme “Matrix” em que o protagonista Morpheus pergunta para Neo (o “herói” da história) se ele prefere a pílula azul ou a pílula vermelha: em outras palavras, se ele prefere o mundo ilusório de fantasias ou a verdade, por mais cruel que ela seja! Ao final ele terminou lembrando que há pensadores e mesmo cientistas que tentam determinar se há indícios de que estejamos “vivendo” realmente num ambiente de simulação matemática como ocorre em “Matrix”. De qualquer forma, segundo o debate levado a cabo pelos presente s, os nossos sentidos nos enganam cotidianamente e as informações que nos chegam pela internet e pela televisão frequentemente estão nos apresentando uma imagem distorcida da realidade e do mundo.

Por sua vez, a bolsista Jaqueline realizou uma apresentação audiovisual sobre o tema do bullying, explicando aos presentes como um sentimento ativo de crueldade, existente em algumas pessoas, pode arrasar a vida de quem é vítima de atos de violência física ou psicológica que causam dor e angústia e são executados em uma relação desigual de poder, deixando terríveis sequelas psicológicas. Para terminar, ela apresentou um vídeo exemplificando suas ideias.

Após isto, o extensionista Matheus realizou sua apresentação sobre RPGs ou “Role-Playing Games” (em português “Jogos de Interpretação de Papeis”). Ele explicou como jogos de diversos tipos podem colaborar para a aprendizagem de conteúdos de diversas disciplinas e exemplificou com o jogo intitulado “Don’t Starve” (“Não morra de fome”) em que o personagem do jogador deve ter conhecimentos de diversas ciências naturais (tais como a biologia), para conseguir sobreviver, nos diversos ecossistemas em que ele pode se situar, no cenário do jogo.

Logo após, o bolsista de iniciação científica João fez uma explanação rápida sobre a natureza da gravidade e sobre como astronautas vivem em estações orbitais em órbita em torno da Terra, em situações de imponderabilidade que são erroneamente definidas como “falta de gravidade”. Para exemplificar seu ponto de vista ele apresentou um vídeo com um experimento científico executado pelo astronauta Chris Hadfield em que ele torce um pano com água dentro da Estação Espacial Internacional e verifica o que ocorre com a água do pano. O curta do vídeo com o experimento em inglês está disponível para ser assistido em:https://www.youtube.com/watch?v=o8TssbmY-GM. Esta experiência aborda o conceito científico de tensão superficial da água. Uma das áreas de pesquisa de João é a Cosmologia.

Finalmente, o bolsista de iniciação científica Rafael apresentou aos presentes os comandos básicos do software Stellarium que simula os corpos do céu noturno, visto a partir de qualquer região da Terra. Este programa pode ser baixado gratuitamente para computadores a parir do link: http://www.stellarium.org/pt/. Uma de suas mais preciosas ferramentas é aquela que permite visualizar as constelações de outras culturas. Se na civilização ocidental, de origem europeia, por exemplo, faz sentido falar de constelação da “ursa maior” que era como os povos ancestrais de europeus viam a ligação de certos pontos de estrelas de uma dada região do céu, para os tupis que viviam na América do Sul fazia sentido criar constelações como da “anta” e da “ema”, já que estes eram os animais que existiam em nosso continente. Uma das áreas de pesquisa de Rafael é justamente a Etnoastronomia.

Antes do término, o professor Ricardo Plaza explicou aos presentes a ciência existente em três experimentos científicos que foram apresentados rapidamente: o pêndulo de Newton, o levitador magnético e a bola de plasma.
Finalmente, após os aplausos para as apresentações, os escoteiros presentes agradeceram com o grito “Bravo! Bravo! Bravíssimo!” que foi respondido pelos palestristas com o grito “Grato! Grato! Gratíssimo!”.


Estas são atividades educacionais que o programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural” do IFSP-Caraguatatuba propicia para a comunidade interna e externa à instituição. Gestores e professores de escolas públicas que desejarem que os alunos de suas escolas participem de tais atividades devem entrar em contato com o professor Ricardo Plaza no IFSP, de modo a juntos definirem os detalhes.

0 comentários:

Veja também...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

IMOBILIARIA

IMOBILIARIA
Sempre um bom Negócio - Corretores Credenciados - A Maior Variedade de Imóveis